Skip to content

A Mulher Que Enfrentou Odebrecht: Ana Amélia Lemos, A Apelidada

Ana Amélia Lemos e o Caso Odebrecht

Ana Amélia Lemos, também conhecida como a “Rainha dos Trens”, é uma política brasileira que foi presa pela Polícia Federal em dezembro de 2016, como parte da Operação Lava Jato. Ela foi acusada de receber propinas da empresa de engenharia e construção Odebrecht para financiar sua campanha eleitoral. Embora ela tenha negado as acusações, ela foi condenada a sete anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Ana Amélia Lemos nasceu em 1964, na cidade de Alagoinhas, no estado da Bahia. Ela é formada em economia pela Universidade Federal da Bahia e começou sua carreira política em 1986, quando foi eleita vereadora da cidade. Em 1998, ela foi eleita deputada estadual e, em 2002, tornou-se a primeira mulher a ser eleita governadora da Bahia. Durante sua gestão como governadora, ela se destacou por seu trabalho na área de transporte, o que lhe rendeu o apelido de “Rainha dos Trens”.

Em 2014, Ana Amélia Lemos decidiu concorrer à reeleição como governadora, mas acabou perdendo para o candidato da oposição. Foi durante esta campanha que ela foi acusada de ter recebido propinas da Odebrecht para financiar sua campanha. Segundo a acusação, a empresa de engenharia teria pago cerca de R$ 7 milhões para a campanha de Ana Amélia Lemos.

Index

    O Caso Odebrecht

    O caso Odebrecht é um dos maiores escândalos de corrupção da história do Brasil. A empresa de engenharia foi acusada de pagar propinas a políticos e funcionários públicos para obter contratos governamentais. O caso começou em 2014, quando a Polícia Federal iniciou a investigação e prendeu várias pessoas ligadas à empresa, incluindo o próprio presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht.

    Até agora, mais de 100 pessoas foram condenadas e mais de 200 estão sendo investigadas. Além disso, a Odebrecht foi condenada a pagar cerca de R$ 10 bilhões em multas e indenizações por seus crimes.

    A Condenação de Ana Amélia Lemos

    Em dezembro de 2016, a Polícia Federal prendeu Ana Amélia Lemos por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. Ela foi acusada de receber propinas da Odebrecht para financiar sua campanha eleitoral de 2014. Ela negou as acusações, mas foi condenada a sete anos e seis meses de prisão.

    Ana Amélia Lemos recorreu da decisão e, em março de 2017, foi libertada. Ela foi liberada após o Supremo Tribunal Federal decidir que ela não tinha que cumprir pena de prisão até que seu recurso fosse julgado. No entanto, ela ainda está sendo investigada pela Polícia Federal e pode ser condenada a pena de prisão a qualquer momento.

    Conclusão

    Ana Amélia Lemos foi presa em dezembro de 2016, acusada de receber propinas da empresa de engenharia e construção Odebrecht para financiar sua campanha eleitoral. Embora ela tenha negado as acusações, ela foi condenada a sete anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Ela foi libertada em março de 2017, mas ainda está sendo investigada pela Polícia Federal e pode ser condenada a pena de prisão a qualquer momento. O caso Odebrecht é um dos maiores escândalos de corrupção da história do Brasil e, até agora, mais de 100 pessoas foram condenadas e mais de 200 estão sendo investigadas.

    mais informações